SITECM.jpg

 

SEXOLOGIA CLÍNICA

 

Sexologia Clínica (S.C.) é a especialidade que trata das disfunções e inadequações sexuais. A falta de conhecimento sobre o que vem a ser a Sexologia Clinica pode levar algumas pessoas a pensar, erradamente, que o Sexólogo Clínico faz sexo com o cliente.  

O Sexólogo Clínico não realiza as fantasias sexuais do cliente; ele não se envolve sexualmente com seus clientes. Este profissional trata das disfunções sexuais, ou seja, da falta de desejo, falta de excitação (ereção e lubrificação), transtornos ejaculatórios (ejaculação precoce, retardada, bloqueada e anejaculação), anorgasmia, vaginismo e dispareunia.

Atualmente, a SC mundial é embasada na psicofarmacoterapia.

 

SEXÓLOGO CLÍNICO

 

O Sexólogo Clínico é um especialista em sexologia clínica, médico ou psicólogo, o qual está habilitado e capacitado para escutar a queixa do cliente, solicitando, sempre, que ele explique o que entende por aquela queixa.  Dessa forma, é possível identificar se há a necessidade de prestar esclarecimentos sobre sexo e sexualidade e definir a utilização de técnicas específicas para cada tipo de inadequação sexual e para cada indivíduo.

 

TERAPIA SEXUAL

 

A terapia sexual visa ajudar o paciente, no menor espaço de tempo possível, a ficar adequado com ele e com o seu/sua parceiro/parceira; uma vez que a inadequação está sendo motivo de sofrimento.  Assim, a terapia sexual é focal; ela parte da queixa e vai se distanciando até que a causa seja identificada, a partir daí inicia-se a terapia sexual, propriamente dita. As inadequações podem apresentar causas orgânicas ou não.

 

 

FASES DA RESPOSTA SEXUAL HUMANA

 

Todo ser humano em condições biopsíquicas satisfatórias tem predisposição para ter uma resposta sexual completa a qual, de acordo com Master & Jhonsons (1966);Kaplan (1974/1995);Cavalcanti & Cavalcanti (2012), é composta por: 

DESEJO: fantasias acerca da atividade sexual e desejo de ter atividade sexual.

EXCITAÇÃO: sentimento subjetivo de prazer sexual e alterações fisiológicas concomitantes. No homem pode ser caracterizada pela rigidez e ereção peniana. Na mulher, pela lubrificação vaginal, tumescência mamilar.

ORGASMO: clímax do prazer sexual, com liberação da tensão sexual e contração rítmica dos músculos do períneo e órgãos reprodutores.

RESOLUÇÃO: sensação de relaxamento muscular e bem-estar geral. Quando algo bloqueia ou impede que  uma dessas fases aconteça chama-se de Disfunção sexual. Aí, é chegado o momento de buscar um sexólogo clínico.

 

DISFUNÇÕES SEXUAIS FEMININAS

 

TRANSTORNO DE EXCITAÇÃO SEXUAL -  Incapacidade da mulher manter a excitação e a lubrificação durante o ato sexual.

VAGINISMO - É a contração involuntária dos músculos que circundam a entrada da vagina e ocorre sempre diante da possibilidade da introdução de alguma coisa no conduto vaginal.

 

 

DISFUNÇÕES SEXUAIS MASCULINAS

 

DISFUNÇÃO ERÉTIL - Incapacidade persistente, total ou parcial de iniciar e/ou manter ereção durante o tempo suficiente para o ato sexual da penetração até a ejaculação e o orgasmo. 

ANEJACULAÇÃO - É a incapacidade de ejacular, seja falta de produção de esperma ou obstrução das vias espermáticas.

EJACULAÇÃO BLOQUEADA - Quando algum fenômeno impede que ela aconteça; pode ser situacional ou permanente.

EJACULAÇÃO RETARDADA - É a dificuldade em ejacular, demora para ejacular.

EJACULAÇÃO RETROGRADA - Acontece quando o sêmen vai para a bexiga, não sai pela uretra.

EJACULAÇÃO PRECOCE - É a incapacidade persistente de controlar a ejaculação.

 

 

DISFUNÇÕES SEXUAIS FEMININAS E MASCULINAS

 

ANORGASMIA - Dificuldade em atingir o orgasmo, mesmo havendo desejo e excitação.

DISFUNÇÃO DO DESEJO - Diminuição ou ausência total fantasias e de desejo de ter atividade sexual.

DISPAREUNIA - Existência de dor durante o ato sexual.

AVERSÃO SEXUAL , EVITAÇÃO SEXUAL - Evitação ativa de ter sexo com parceiros, com sentimentos de repulsa, ansiedade e medo.